A realização do V Congresso Internacional de História e Patrimônio Ferroviário e a IV Jornada de Jovens Pesquisadores em História e Patrimônio Ferroviário (Campinas, Brasil), no período de 9 a 11 de setembro de 2020 dará continuidade ao esforço por estimular o conhecimento nas áreas de história ferroviária e patrimônio ferroviário, perseguido pelas entidades envolvidas.

A história e o patrimônio ferroviário já foram tema de outros eventos internacionais apoiados pelo TICCIH e outras representações nacionais latino-americanas, dentre os quais os VI Seminário de Patrimônio Ferroviário (2012) e o congresso de História Ferroviária organizado por TICCIH/Argentina (Mendoza, 2017). O congresso da AIHC já tinha ocorrido na América Latina, com apoio do TICCIH/Chile (Santiago do Chile, 2015). Para o mesmo tema, o TICCIH e a AIHC apoiam nossa iniciativa de promover o V Congresso Internacional de História e Patrimônio Ferroviário em Campinas, em 2020, a fim de discutir questões sobre preservação relevantes aos países em desenvolvimento: gestão territorial,  educação  e comunicação patrimonial.

Nesse sentido, o V Congresso tem por título “Os legados para nosso futuro”, pois visa promover a discussão sobre o papel do transporte ferroviário na atualidade, em particular nos países da América Latina. O evento contará com vários temas e espera contribuições que apontem os avanços na pesquisa, na gestão da preservação e uso dos bens ferroviários e a importância desses bens patrimoniais para o desenvolvimento social.

Cada um das temáticas apresentadas visa tratar um conjunto de questões atuais e pertinentes ao contexto brasileiro, latino-americano e eventualmente a outros países em desenvolvimento. Em primeiro lugar, com a temática “educação e ferrovias”, entendemos que os debates sobre a preservação patrimonial têm estreita ligação com os da educação, num contexto atual de grandes desigualdades socioeconômicas e ameaças aos direitos sociais. Se o patrimônio cultural pode ser o locus ou objeto propício à formação de conhecimento, também a educação pode estimular o debate sobre a pertinência da preservação. De toda forma, uma inter-relação preservação – educação colocará foco na necessidade de políticas efetivas de formação do cidadão.

A instituição museológica tem papel consagrado no campo da preservação patrimonial, mas talvez se possa destacar como ela se instala e apropria de espaços construídos. Neste sentido, por meio da temática “museus e ferrovias”, procuramos problematizar o aproveitamento arquitetônico das estações na implantação de museus (locais ou regionais), num contexto abandono (desde os anos 1970) e reutilização estruturas ferroviárias para uso cultural. Já tem sido questionado o massivo “uso cultural” de antigos edifícios, como se “museu” e “antigo” fossem sinônimos ou o único uso nobre para espaços patrimoniais. Por outro lado, pode-se inquirir também sobre o “loteamento” dos espaços ferroviários, que representariam destinações não-planejadas.

A temática “patrimônio ferroviário e cidade” prevê enfrentar o debate da preservação patrimonial do ponto de vista das políticas urbanas e suas fragilidades. Isso significa problematizar aquelas soluções urbanísticas que produzem uma ambiência nova na qual se preserva o patrimônio cultural apenas para lhe atribuir função meramente estética ou simbólica (de “monumento histórico”) numa cidade moderna.

Pretende-se com esse evento gerar um espaço de discussão nacional e continental sobre história, urbanismo e patrimônio ferroviário, com participação de acadêmicos, profissionais, representantes de entidades ou empresas envolvidos diretamente com a história e o urbanismo nas temáticas propostas. Durante três dias serão desenvolvidas atividades cujos objetivos serão debater questões relevantes sobre a história do transporte ferroviário e ao mesmo tempo avaliar seu legado futuro na América Latina.

Concomitantemente à programação do Congresso, a IV Jornada de Jovens Pesquisadores visa difundir os resultados científicos alcançados por pesquisadores em nível de graduação e pós-graduação em investigações sobre história ferroviária, estudos urbanísticos e de preservação do patrimônio industrial ferroviário. Este evento é anual e faz parte das atividades de difusão científica dos resultados da equipe de pesquisadores e discentes de pós-graduação e graduação do Projeto Memória Ferroviária que nessa versão será ampliado à participação de estudantes de outras instituições. O projeto de pesquisa vem sendo desenvolvido há dez anos, com financiamentos da FAPESP e CNPq. Iniciado em 2017 como seminário interno de formação dos membros da equipe, desde 2019 abriu-se ao público acadêmico em geral com o intuito de ampliar o debate e estimular perspectivas inovadoras de pesquisa a partir de uma abordagem que entrelaça história, urbanismo e patrimônio. A Jornada se propõe a difundir os resultados científicos alcançados pelos estudantes nos últimos anos. O evento também procura estimular a formação de futuros pesquisadores de forma a dar continuidade aos estudos interdisciplinares nesta área.

Público-alvo: O evento é principalmente dirigido ao público composto por pesquisadores e estudantes (pós-graduandos e graduandos), profissionais do campo da preservação e gestão do patrimônio e demais interessados em história, arquitetura, urbanismo e patrimônio ferroviário. Os eventos anteriores tiveram um público aproximado de quase uma centena de pessoas; por sua especificidade, é o esperado para o próximo evento.

Idioma oficial: os idiomas oficiais de ambos os eventos serão o português, o espanhol e o inglês.

Realização

Grupo de Pesquisa Memória Ferroviária / Universidade Estadual Paulista -UNESP

Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (POSURB-ARQ) / Pontificia Universidade Católica de Campinas

Grupo de Pesquisa Patrimônio, Políticas de Preservação e Gestão Territorial / Pontificia Universidade Católica de Campinas

 Apoio

Comitê Brasileiro para a Conservação do Patrimônio Industrial  (TICCIH-Brasil)

The International Committee for the Conservation of the Industrial Heritage (TICCIH)

Associação Internacional de História Ferroviária (AIHC – IRHA – AIHF)

International Council on Monuments and Sites (ICOMOS / Brasil)

Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (POSURB-ARQ) / PUC-Campinas

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo – FAAC / UNESP

Programa de Pós-graduação em História – FCL / UNESP